OUTROS SITES EM DESTAQUE RIO
Primeira Página

Hipoglicemia e Hiperglicémia

Para evitar a hipoglicemia e a hiperglicemia, além das complicações da diabetes, o segredo – que não é segredo, na verdade - é manter os níveis de glicose dentro da meta estabelecida para você pelo seu médico assistente.

Manter hábitos saudáveis e um estilo de vida ativo, além de seguir as orientações sobre a medicação são medidas que podem garantir o alcance das taxas de glicose pretendidas. Essa meta varia de acordo com a idade, condições gerais de saúde e outros fatores de risco. Os profissionais de saúde da equipa multidisciplinar na consulta de diabetes podem ajudar.

Hipoglicemia

(Nível muito baixo de glicose de sangue)

A hipoglicemia é caracterizada por um nível anormalmente baixo de glicose no sangue, geralmente abaixo de 70 mg/dl. É importante não considerar apenas este número – para o seu caso consulte o seu médico assistente.

Aumentar a quantidade de exercícios sem orientação correta, ou sem ajuste correspondente na alimentação ou na medicação; saltar refeições; comer menos do que o necessário; exagerar na medicação, acreditando que ela vai trazer um controlo melhor; e ingestão de álcool são causas comuns de hipoglicemia.

A hipoglicemia em situações extremas pode levar à perda de consciência, ou a crises convulsivas.

Os sinais da hipoglicemia são dicas importantes para uma ação preventiva e eles podem variar de pessoas para pessoa. Com o tempo, vai aprender a identificar como é que o seu corpo reage ao nível de glicose no sangue baixo.

A única maneira de ter certeza se suas taxas de glicose estão muito baixas é verificar com o aparelho (fazer a picadinha), se possível. Entretanto, se você está com sintomas de hipoglicemia e não tem condições de fazer a medição naquele momento, faça o tratamento – garantir a segurança é a prioridade neste momento. A hipoglicemia severa pode causar acidentes, lesões, levar ao estado de coma e até à morte.

Fique atento aos sinais da hipoglicemia, que geralmente acontecem rapidamente.

O tratamento imediato é feito com os seguintes passos:

Consuma de 15 a 20 gramas de carboidratos, preferencialmente carboidratos simples, como por exemplo açúcar (uma colher de sopa, dissolvida em água).

Verifique a sua glicose depois de 15 minutos;

Se continuar baixa, repita;

Assim que a taxa voltar ao normal, faça um pequeno lanche.

Espere de 45 a 60 minutos para dirigir após um episódio de hipoglicemia.
Em casos de inconsciência (desmaio) ou convulsão, outra pessoa terá que tomar providências. Uma dessas medidas poderá ser aplicar glucagon, que é uma hormona que estimula o fígado a libertar glicose armazenada na corrente sanguínea. Kits de glucagon injetáveis podem ser adquiridos com prescrição médica. O seu médico saberá dizer se você precisa ter e como usá-lo.

É importante orientar também sua família sobre essa possibilidade. Caso a pessoa que esteja com você não saiba como aplicar ou não saiba o que fazer, a melhor medida é chamar uma ambulância.

Um episódio como este deve ser informado à sua equipa multidisciplinar.

Não perceção de hipoglicemia

O nível de glicose no sangue, em algumas pessoas pode descer abaixo de 70 mg/dl e mesmo assim não haver sintomas percetíveis. Esta é a chamada “não perceção de hipoglicemia”. Pessoas com essa condição podem não acordar do sono quando a hipoglicemia acontece durante a noite.

Ela é mais comum em pessoas que enfrentam regularmente episódios de baixa glicose no sangue, diminuindo a sua sensibilidade aos sintomas; em pessoas que têm diabetes há muito tempo e em pessoas que controlam de forma rígida a doença. Neste caso, pode ser necessário reajustar as metas de glicose.

Dica: Identificação

Ter uma identificação médica pode ser muito útil no caso de um episódio grave de hipoglicemia, de um acidente ou outra emergência. A identificação informa que você tem diabetes, se usa insulina ou não, se é alérgico a algum medicamento.

Outros fatores que podem causar variações mais drásticas e imprevisíveis nos níveis de glicose são as doenças comuns, como a gripe. É importante fazer a medição dos níveis com mais frequência nesses períodos e continuar a tomar a medicação para diabetes. Uma outra dica é que xaropes para tosse, por exemplo, podem conter açúcar, por isso é importante receber a orientação correta antes de tomar outros remédios.

Como prevenir a Hipoglicemia?

A melhor solução é fazer uma boa gestão da diabetes e aprender a identificar os sinais da hipoglicemia assim que eles aparecem. Monitorar sempre a glicemia e acostumar-se a conviver com um bom controlo glicêmico.

Hiperglicemia

(nível muito alto de glicose no sangue)

A hiperglicemia acontece quando há pouca insulina no organismo ou quando o corpo não consegue usá-la apropriadamente.

A hiperglicemia é o aumento da glicose no sangue, em geral acompanha-se também de altos níveis de açúcar na urina, causando excesso de urina e vontade frequente de urinar e por consequência, aumento da sede.

Uma das formas de baixar a glicose no sangue é fazer exercício. Se a taxa de glicose no seu sangue estiver acima de 240 mg/dl, é importante verificar os níveis de cetonas, no sangue ou na urinar. Se houver cetonúria (na urina) ou cetonemia (cetonas no sangue), o exercício não é recomendado, já que podem levar à descompensação metabólica e fazer a glicose subir ainda mais.

É importante avaliar se a dieta está inadequada. Se os ajustes na alimentação e no programa de exercícios não forem suficientes, é possível alterar a dose dos medicamentos e da insulina, ou ainda a frequência com a qual você os aplica.

Viver com a Diabetes 

Uma das principais ações para alcançar bons resultados e evitar o agravamento da hipoglicemia e da hiperglicemia é fazer a auto monitorização das taxas de glicose no sangue.

Há várias maneiras de medir os níveis de glicose no sangue, de testes em laboratório até pequenos dispositivos portáteis (medidores de glicose e corpos cetónicos) que pode levar para onde estiver. É importante que o médico ou o seu educador em diabetes o oriente sobre o melhor modelo e o ajude no manuseamento para que não tenha dúvidas na hora de usar. 

Manter os níveis de glicose dentro da meta pode ser desafiador e um pouco frustrante quando os resultados não são alcançados. A auto monitorização pode ajudar a fazer pequenos ajustes que vão tornar esse processo, aos poucos, mais fácil.

 Copyright © AEDMADA.com 2018

Desenvolvido por Optimeios